sábado, 24 de março de 2012

Dor cantada

Maior clamor nem mais estranho existe
que o meu, que não sossega a coisa amada
E quando se sente alegre, fica triste
E se a vê descontente, dá risada.

A dor ainda hoje persiste
Dor clamada, dor cantada
O velho amor ainda resiste
Nessa face já amargurada

Eis uma alma triste:
Nada mais me agrada
Desde que partiste
Você minha amada

Alma acabada
A minha existe
Para ser cantada
A ode triste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...