domingo, 27 de abril de 2014

03:59

Não sei se
Eu perdi meu caderno
Ou perdi você

Não sei se isso foi um recado
Ou se tudo deve ficar no passado
O fato é que tenho medo
Bastante medo
De não ter  a chance de ter você junto comigo

Estou com muito medo
De não encontrar aquele bilhete
Que tinha deixado dentro do caderno
E acabar me esquecendo
O que é você

Acho que me perdi nesse processo
Acho que passei a ser mais tolo
E esquecido do que é importante
Nessa vida

A ditadura das palavras
Não sinto falta alguma
Tampouco sinto falta
Das maldades maternas
Ou das fragilidades juvenis
Que adentram em nosso peito

Inadvertidamente
Só tenho uma coisa na mente
Eu quero estar com você
Quero namorar com você
Viver
E se for o caso, até casar

Sim, eu teria filhos
Sim, eu largaria tudo
Tudo por um pequeno torrão de esperança
Que vejo todo dia que esboça um sorriso
E que belo sorriso!

Você me oferece o incerto
E o incerto me seduz tanto
Muito mais do que é o tédio
Da rotina suburbana repleta de brigas
E picuinhas pequenas

Basta-me a ideia dos outros
Apenas nós que importamos
E digo nós porque eu gosto de você
E eu acho que você gosta de mim

Afinal uma flor pode ficar sem sua luz
Ou um papel sem sua tinta
Você me tinge de sentimentos
Tão diversos que fico bastante colorido

Não sei se me faço sentido
Mas me sinto consolado
Quando sento-me e fico do seu lado
Quando te ouço
Sob seus enigmas e olhares silenciosos

Você é diferente das outras
Há algo que me seduz
Que não sei o que dizer
E isso me deixa perdido

Acho que gosto de me perder
Sempre que me perco
Eu procuro a luz no fim do túnel
E leio sua pequena receita de bolo de cenoura
Escrita com carinho delicado de menina

Nada soterra
Nesse momento
Nada me leva
A desistir
de querer ficar contigo

Eu estou farto dessa vida
Tanto quanto você
Percebi isso
Vamos viver juntos
Vamos viajar juntos

Nada importa agora
Nada
A não ser o que sinto por você
E sou tão jovem
Mas aqui envelheço tão rápido

Nunca ficamos juntos
Mas isso não é empecilho
Querido raio de sol
Quer ficar comigo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...