sábado, 19 de maio de 2012

Jazem as rimas

Não tenho vontade
De ler, de escrever
Não penso, não falo
Deixo o vento bater

Triste dia é aquele
Que nada se diz
Que nada se fala
Que nada se ama

Noite riste é pior que dia
Pois não há nada, nem alegria
Não pensa outra coisa
Nem finge balisa

Pensa naquele dia
Da vida a cantar
Que lhe fez amar
Doutra vez de novo

Redundancia é a vida
Amor é sua morte
Pois quanto mais pensa
Mais de si ele perde

Não pensa, não rima
Não vive, não ama
Não come, nem lê
O pobre que canta

Ela não liga,
Ela não ama.
Ela é triste
Mas o amor resiste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...