terça-feira, 17 de julho de 2012

Um assunto difícil

        Nos últimos dias foi noticiado que um antigo e conhecido deliqüente e assassino húngaro, que trabalhou por muito tempo com os nazistas, foi encontrado na Hungria.

       Muito se discutiu sobre isso, e alguns argumentaram que a prisão desse velhinho não serviria nada e que ele só serviria como bode expiatório, bem, eu não penso assim:

         Eu acho que o velhinho deve ser mesmo punido sim por seus crimes, mas mesmo assim não devemos esquecer que há muito criminosos que pairam a solta e continuaram a pairar livremente por aí.

         Embora esse não seja o único genocídio na história e tampouco o único relacionado aos judeus e que alguns acharam conveniente acobertá-los. Como o que Luís IX da França, fez aos judeus, no século XIII, se bem me lembro, que por um acaso do destino foram comparados com os mongóis, e morreram em fogueiras e coisas parecidas, essa é uma parte inconveniente para os franceses e para a Igreja, afinal Luís XI virou São Luís depois. Não podemos menosprezar a memória do Holocausto.

            Eu queria poder dizer que a memória do holocausto ajudou para que outros crimes contra a humanidade fossem evitados, mas na verdade, todo mundo sabe que isso não foi verdade, mais e mais massacres acontecem todo dia ao redor do mundo.

           Eu queria poder dizer que o Holocausto visa lembrar todos os que sofreram com a intolerância no passado, mas na verdade ele anda sendo usado para promover outro genocídio na Palestina.


          Muitos genocídios são tão bem acobertados, que pairam até no esquecimento, como genocídio armênio que a Turquia até hoje nega e os Estados Unidos, em meio à Guerra Fria, fizeram que não viram, por causa de não ser conveniente questionar um aliado. Tudo isso é verdade.

          Heróis foram construídos a partir da mácula do sangue em sua armadura, desde César, Carlos Magno, Rei Artur, Aleksandr Nevsky, Cortez, Pizarro, Napoleão, Washington, Lincoln, Lenin e outros. A história humana parece ser uma história de violência e sofrimento.

            A prisão de Csatary vai sim servir para a catarse coletiva, e muitos escaparam e escaparão ilesos, desde Henry Ford a Von Braun. ele será bode expiatório para toda a sorte de genocídios que aconteceram ao redor do Mundo, mas nem por isso pode ser deixado impune, afinal de contas, seria um insulto à memória de suas vitimas.


         Não acredito num mundo em que a violência cesse com um piscar de olhos, ou mesmo num mundo em que de uma hora para outra cessem todos os malefícios da vida.

          Eu queria poder dizer que o nazismo foi a única bandeira que dedicou-se ao morticínio em massa, mas isso nem de perto é a verdade, pois não importa a bandeira, capitalista ou socialista, judia, árabe, cristã, o elemento da violência parece acompanhar a humanidade, mas negação do nazismo, na minha opinião, constitui uma esperança de tentar se transcender o papel violento da humanidade, e isso já é uma coisa positiva


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...