quinta-feira, 12 de julho de 2012

Mikoian

Mikoian rima com divã
Onde descansa flamboyant
De longa folha
Ajeita a boina


Burocrata parece
Vida logo desaparece
Folha vira documento
Regra vira lei

Democracia de um só homem
Ditadura de uma burocracia
Poeta leva longe
Ninguém sabe pra onde

Mandestam rima
Maiakovsky suicida
Gorky fica
Longe do dia


Tchekhov narra
Glinka canta
Russia chora
Mikoian comemora

Aço faz homem
De lustrosas botas
E grande bigodaço

Cabelo espetado
Pinta desesperado
Morte nas cotas

"Nas tormentas do passado,
O sol brilhou-nos o caminho"
Livre o descansado
Grito de dor encaminho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...