quinta-feira, 12 de julho de 2012

Sem esperança

          Nos últimos dias eu perdi completamente qualquer perspectiva minha de esperança quanto a humanidade.
           Uma fase nebulosa tomou conta de minha alma e consome minha palavra e toda a infelicidade que nada vida escondia transpareceu aos meus olhos.

A sociedade é suja por natureza, a vida é crua com certeza, e nada parece mudar tal avareza.

          Não tecerei discursos xistosos, não me comprazerei com mais lira, sinto minha alma fria e vazia... Rima não é voz, é inimigo atroz, das dores do coração.

           Glorifica-se a morte, mas pouco se sabe que ela é pior que a vida, pois soluções nada dita e apenas dor se incita... Tornei-me um pária de mim mesmo, destruidor de emoções.

2 comentários:

  1. Gosto do que escreves, podemos trocar opiniões acerca desses assuntos por e-mail? b_ayres@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Perfeitamente, basta me mandar um e-mail que eu p poderei discutir sobre esse e outros assuntos. alanncc@gmail.com

    ResponderExcluir

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...