segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Na véspera de Natal

         É noite de Natal, enquanto os outros festejam essa festa tão estranha em seu lares com suas famílias, decoram árvores de Natal e retalham em mil pedaços perus de Natal; As criancinhas desembrulham rapidamente o papel laminado dos presentes e agradecem ao Papai Noel por essa graça.

        Passo pelas ruas, vejo tudo tão deserto: Os comércios não abrem, a polícia não faz mais rondas e sequer os bandidos estão com aquele espírito de roubar. Eis um espírito natalino que pairava a noite sem luar do solstício.

       O Hanukkah passou e nem vi passar, a Festa das Luzes não foi a mesma, não teve graça e nem presentes; Foi apenas só uma data, uma dada como outra qualquer. Ano passado eu teria acendido as velas do meu candelabro (menorá), teria feito a reza da Torá e estaria usando o meu kipá, mas hoje... mas hoje nada disso me atraí.

       Não há mais luz em minha vida, não há mais alegria quando começo a pensar que nada mais disso importa, que não me importa se é Natal, Hanukkah ou Ramadan. Tudo o que importa é que sinto saudades, e nessa cosmópole vazia, meu coração se consome, pois a luz da minha vida não é mais o Hannukkah, mas o seu sorriso que vi passar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...