sexta-feira, 18 de julho de 2014

Lacunas

Em todo o espaço vazio
resiste um infinito
pois se escondem
centenas de coisas
numa lacuna que martela
uma consciência destreinada

Lacunas são espaços dentre palavras
versos, ou mesmo no ponto-e-vírgula
Mas nesses vazios existenciais
sempre há espaço para renovação

Lacunas são espaços entre ladrilhos
São o cimento e argamassa
Do papel e do concreto
pois são amálgama do subconsciente

Lacunas é como encontrar um livro perdido
Um verso que foi comprimido
Ou um suspiro que foi contido
Pois o vazio é um todo
E o zero é o infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...