domingo, 23 de julho de 2017

O sono

      Ela dorme num sono delicado de criança, ela fecha seus olhos pesados e abre a sua boca, a respiração fina toma o quarto inteiro com o abraço delicado de Morfeu numa noite de sábado. Não tinha outra coisa senão acompanhar o seu sono pesado com olhos doces e preguiçosos, tenho vergonha de ligar a luz e vou em direção à varanda.

       Revisito alguns textos, ando preocupado esses dias. Olho para a varanda de um prédio logo à frente, há um velho num dos apartamentos olhando para a rua com a luz ligada, somos dois companheiros numa noite fria de julho. Ele com sua camisa amarela e o semblante pesado, me olha enquanto sua cabeça brilha com a luz branca da lâmpada incandescente. É curioso ver como às vezes somos invisíveis.
        Gostaria às vezes de corrigir alguns erros desses últimos meses, de não ter sido tão bruto e enérgico, brigar sempre cria uma dose de arrependimentos. Sair de casa foi uma escolha prematura, mas o que havia a ser feito? Certas horas eu penso se poderia voltar atrás, mas me convenço que um homem deve assumir seus próprios erros, mesmo que não tenha força para sobreviver.

       Não ouso incomodá-la, ela está tão delicada debaixo das cobertas, sem se preocupar com o nosso aluguel que não foi pago ou porque estamos sem dinheiro para comer. Eu me sinto inútil sem meu emprego, me sinto covarde inclusive, ela que segurou todos os nossos desafios, nunca questionou o seu amor por mim. Sinto que seja verdade o que dizem, o amor é realmente mudar a alma de casa.

      Eu sou uma peça da mobília desse minúsculo apartamento, tal como o microondas quebrado, a televisão que desliga do nada ou a geladeira que faz um barulho desgraçado. Ela sabe que eu sou o porto seguro em toda essa triste alegoria que se chama de vida, e ela também sabe que representa esse papel para mim. Coragem é lutar todos os dias para tentar ser feliz.

      Nós não somos felizes, não porque não queremos, mas porque não nos foi permitido um minuto de paz. Sempre no aperto e no desafio de conseguir o dinheiro do dia seguinte, muitas vezes ficamos sem chão, muitas vezes brigamos, nos machucamos e tememos o nosso término. Eu não penso nisso com certa frequência, mas confesso que já pensei algumas vezes.

      Sim, eu realmente fui irresponsável em certas escolhas e não sei o que pensar nisso, mas o que eu sei é que inevitavelmente faria as mesmas coisas. Amar é proteger todos os dias as pessoas importantes de sua vida, eu me preocupo se as coisas irão ocorrer bem, se ela irá voltar para casa em segurança e se ninguém irá maltratá-la. Quando você namora uma transsexual é preciso ter cuidado em dobro, não porque o amor seja uma fonte inesgotável de problemas, mas num país que se mata como insetos travestis e homossexuais, a semente do machismo e da intolerância sempre pode acabar com o único suspiro de uma vida.

       Eu estou feliz por ela estar em casa, deitada e dormindo de forma despreocupada na cama que dividimos durante os nossos dez meses de namoro. Estou feliz por ela hoje não se preocupar em ter que enfrentar os leões e trabalhar até tarde para por comida dentro de casa, essa mulher é a única pessoa que conhece de verdade nossos problemas.

       Eu amo pensar que a sua transsexualidade não é um defeito, nem uma escolha, mas sinceramente, uma dádiva. Se nos encontrássemos em outra condição, possivelmente não estaríamos tão dispostos a se sacrificar um pelo outro, a ligação especial de nossa relação é um recorte de papel numa ilha de esquecimento. Hoje, o sexo é a única coisa que move os relacionamentos tradicionais, assim como o dinheiro e ambição, o casamento é um contrato, mas ninguém realmente se doa quando não se está contente com o outro. Eu sei que ela me completa da mesma forma que eu ouso dizer que eu a completo.

         É difícil tentar explicar isso para quem não compreende o significado da palavra amor, amor é um conceito universal e muito amplo, amor não tem gênero, não tem identidade, não tem sexualidade, amor é algo essencialmente puro. Ouso dizer que o amor é algo que perdemos na infância quando vamos para a escola.

          Hoje eu declaro com a mesma convicção que eu tive no início, eu namoro uma transsexual. Ela não é perfeita, ela muitas vezes me desaponta, muitas vezes esconde coisas de mim e muitas vezes me magoa. Eu sei disso, eu também sou assim, eu também não sou perfeito. O fato é que estamos dispostos a lutar todos os dias para sermos felizes, não ricos, não poderosos ou mesmo não lutamos por status, lutamos para ficar juntos a despeito de todas as pessoas contrárias. E são muitas. Mas o amor tem dessas coisas.

         Ela desapareceu essa semana por quinze horas, por quinze horas eu não tive notícias dela. Por quinze horas eu me preocupei, mandei mensagem, telefonei. Por quinze horas eu procurei todos os amigos, procurei em todos os lugares e cogitei ir para a delegacia. Eu chorei incontrolavelmente quando perdi minhas forças, eu me desesperei quado ela não voltou aquela noite e duvidei que ela estivesse viva. Achei que eu a tinha perdido.

         O sequestro é o mais perverso dos crimes porque não dá pistas de que algo ruim está acontecendo.

         O amor que trouxe tanta felicidade poderia estar enterrada numa vala qualquer no meio do nada. Namorar uma transsexual é se preocupar todos os dias se ela vai voltar viva, uma coisa que a maioria dos casais não precisa se preocupar. 

         Depois de quinze horas, ela me mandou mensagem, não sem me esboçar mais preocupações. O mundo perverso foi tirânico como uma navalha sobre a nossa jugular, ela havia sido sequestrada. Ela foi usada, foi drogada e foi maltratada por quinze horas. Quinze horas que eu não tive notícias dela, quinze horas que ela não sabia onde estava. Deus sabe o quanto eu, ateu convicto, rezei para que ela voltasse bem.

        Eu agradeço todos os dias por ela estar deitada na nossa cama dormindo como se nada tivesse acontecido, eu agradeço todos os dias por ela ter aparecido, mesmo que suja e chorando igual uma criança e me pedindo um abraço e que eu cuidasse dela. Não sei quem foi você que fez essa maldade com ela e não quero saber, eu te amaldiçoo por tudo de ruim que você fez ela passar naquele dia.

         Fui eu que a coloquei no banho quente enquanto cuidava de tranquilizar os amigos preocupados, fui eu que saí na noite fria para comprar comida sem ter tido tempo de me arrumar ou mesmo escovar os dentes. Naquele dia não consegui dormir, mas deixei ela confortável na nossa cama enquanto ela contava traumatizada toda a tortura e provação que passou naquele dia difícil. Desde aquele dia não fizemos mais amor, não porque eu não quisesse, mas meu amor por ela é muito mais do que sexo.

           Ela lutou por mim e nunca irei conseguir retribuir metade da força de vontade que ela teve por mim, então entendam, se não estou presente, se não estou sendo o que se espera de um filho ou de um amigo, apenas entendam: Eu estou cuidando dela. E todos os dias que me julgarem, pensem no quão delicado é saber que  a pessoa que você ama pode não estar viva amanhã.

           Deus, como eu agradeço por ela estar viva, mesmo depois de tudo que passamos juntos.  Agora, tenho que me juntar a ela nesse sono profundo que tão delicadamente me faz apaixonar por ela todos os dias, enquanto dormimos abraçados, nus, debaixo das cobertas pesadas nesse frio glacial que faz na cidade.

Assobio '18

A sombra escura paira sobre a cabeça O sabor terroso invade o paladar E sinistramente desce agridoce O medo corrompe meus olhos A frustr...