Acima do bem e do mal repousa todas as coisas que concernem a natureza humana.

sábado, 24 de maio de 2014

Querido sol, querida lua

Querido sol,
querida lua
Hoje faz um ano
Do decênio de minha existência

Meus sentimentos confusos
Conflitam com minhas ideias
Cada vez mais racionais
Cada vez mais irônicas

Meu amor se foi
Ou está escondido
Em forma de amizade

Querido sol,
O brilho do seu sorriso
Beija minha alma
Tal como brinca com o coração

Ela não deveria ser esquecida
Mas não quer ser lembrada
É ela em forma de menina
Que se define por ...

A presidência impõe
Severa diligência
E o meu espírito cigano
Não encontra porto mundano

Querida lua
que preenche o céu
Eu sei que você me ama
Por isso veste o véu

Eu tenho medo
de encontrar perdido
O arco do meu violino

Ela não vem
E eu sei que não vem
Eu aceito
E não me sinto com isso

Posso esperar dela?
Posso beijá-la?
posso amá-la?
Não, claro que não
Eu não amo em ninguém
E não confio no jogo da sedução

Querido sol
cujo caminho
espirito mor
tanto medo
bastante medo

Agradeço o vento
Beijo o tormento
Sinto o sentimento

Penso, existo
Nada cogito
Eu tenho medo
Medo de espírito

Adeus ao seu sorriso
Adeus ao meu regojizo

Nenhum comentário:

Postar um comentário