Acima do bem e do mal repousa todas as coisas que concernem a natureza humana.

sábado, 24 de maio de 2014

Melancolia poética

Longe do meu sapato
Longe do meu cigarro
Estou esperando
Meio calado
O verso safado

Eu estou sozinho
Olhando para o alto
Beijando o vento
Esperando um amor passar

Veja bem,
olhe com atenção
Perdi meu amor
Numa festa de São João

Quero só ficar do seu lado
Me alinhando como se fosse gato
Esperando minha dor passar

Não espere muito de mim
Não sinta nada o que senti
Não se apaixone por mim
Eu não tenho conserto

Não foi por maldade
Nem de sacanagem
Só sinto muita saudade
De querer me apaixonar de novo

Estou com frio, estou com medo
Não de perder nada
Mas de não ser nada
Senão um grão de pó no meio do trigalhal

Quero só um pouco de carinho
Só esse dia
Juro que não peço mais
Mas amanhã vou pedir de novo

Mas como disse
Sou uma corda de violino
Que se arrebentou
E agora não tem mais conserto

Queria ser mais
do que mero fomento
Quero só um abraço
Juro que não sou ciumento

Nenhum comentário:

Postar um comentário